• Grego de Antioquia, mas nascido em Belém. O pai judeu era chamado Judas, também nascido em Belém. O testemunho de Evaristo é acolhido pelo Martirológio Romano, que escreveu precisamente: “Em Roma, santo Evaristo, Papa e Mártir, que, sob o Imperador Adriano empurpurou com o seu sangue a Igreja de Deus”.

    Evaristo tornou-se Papa (quarto ou quinto sucessor de Pedro) por volta do ano 97. Santo Irineu e Santo Eusébio indicam-no como sucessor de São Clemente. Governou a Igreja por cerca de nove anos.

    No exercício de seu Pontificado, aparecem duas lendárias disposições tomadas por ele: a distribuição dos sacerdotes de Roma nos vinte e cinco títulos ou igrejas paroquiais da cidade, que teriam sido instituídas por São Cleto. São Pedro já havia estabelecido sete diáconos, Evaristo decidiu que os diáconos estivessem ao lado do bispo enquanto este pregava e proclamava o prefácio da Missa, para testemunhar (em caso de necessidade), a ortodoxia e também para conferir maior solenidade à celebração.

    Não se sabe muitos detalhes sobre seu Pontificado, mas, segundo algumas tradições, Evaristo teria morrido como mártir sob o império de Trajano. Foi enterrado próximo ao corpo do bem-aventurado Pedro, no Vaticano.

    Santo Evaristo, rogai por nós!

    Referência:
    Livro Um santo para cada dia – Mario Sgarbossa – Luigi Giovannini 



    Por: CN

    Compartilhar no FacebookCompartilhar no Twitter