21/08/2017

2ª-feira da 20ª Semana do Tempo Comum

21 de Agosto de 2017

S. Pio X Pp, memória

Cor: Branco

1ª Leitura - Jz 2,11-19

O Senhor mandou-lhes juízes;
eles, porém, nem aos seus juízes quiseram ouvir.
Leitura do Livro dos Juízes 2,11-19 Naqueles dias:
11 Os filhos de Israel
fizeram o que desagrada ao Senhor,
servindo a deuses cananeus.
12 Abandonaram o Senhor, o Deus de seus pais,
que os havia tirado do Egito,
e seguiram outros deuses
dos povos que em torno deles habitavam, e os adoraram,
provocando assim a ira do Senhor.
13 Afastaram-se do Senhor,
para servir a Baal e a Astarte.
14 Por isso acendeu-se contra Israel a ira do Senhor,
que os entregou nas mãos dos salteadores que os saqueavam,
e os vendeu aos inimigos que habitavam nas redondezas.
E eles não puderam resistir aos seus adversários.
15 Em tudo o que desejassem empreender,
a mão do Senhor estava contra eles para sua desgraça,
como lhes havia dito e jurado.
A sua aflição era extrema.
16 Então o Senhor mandou-lhes juízes,
que os livrassem das mãos dos saqueadores.
17 Eles, porém, nem aos seus juízes quiseram ouvir,
e continuavam a prostituir-se com outros deuses,
adorando-os.
Depressa se afastaram do caminho seguido por seus pais,
que haviam obedecido aos mandamentos do Senhor;
não procederam como eles.
18 Sempre que o Senhor lhes mandava juízes,
o Senhor estava com o juiz,
e os livrava das mãos dos inimigos
enquanto o juiz vivia,
porque o Senhor se deixava comover
pelos gemidos dos aflitos.
19 Mas, quando o juiz morria, voltavam a cair
e portavam-se pior que seus pais,
seguindo outros deuses,
servindo-os e adorando-os.
Não desistiram de suas obras perversas
nem da sua conduta obstinada.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 105,34-35. 36-37. 39-40. 43ab.44 (R. 4a)

R. Lembrai-vos de nós ó Senhor,
segundo o amor para com vosso povo!
34 Não quiseram suprimir aqueles povos, *
que o Senhor tinha mandado exterminar;
35 misturaram-se, então, com os pagãos, *
e aprenderam seus costumes depravados. R.

36 Aos ídolos pagãos prestaram culto, *
que se tornaram armadilha para eles;
37 pois imolaram até mesmo os próprios filhos, *
sacrificaram suas filhas aos demônios. R.

39 Contaminaram-se com suas próprias obras, *
prostituíram-se em crimes incontáveis.
40 Acendeu-se a ira de Deus contra o seu povo, *
e o Senhor abominou a sua herança. R.

43a Quantas vezes o Senhor os libertou! +
43b Eles, porém, por malvadez o provocavam, *
44 Mas o Senhor tinha piedade do seu povo, *
quando ouvia o seu grito na aflição. R.

Evangelho - Mt 19,16-22

Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens,
e terás um tesouro no céu. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 19,16-22 16 Alguém aproximou-se de Jesus e disse:
'Mestre, o que devo fazer de bom para possuir a vida eterna?'
17 Jesus respondeu:
'Por que tu me perguntas sobre o que é bom?
Um só é o Bom.
Se tu queres entrar na vida, observa os mandamentos.'
18 O homem perguntou: 'Quais mandamentos?'
Jesus respondeu: 'Não matarás, não cometerás adultério,
não roubarás, não levantarás falso testemunho,
19 honra teu pai e tua mãe,
e ama teu próximo como a ti mesmo.'
20 O jovem disse a Jesus:
'Tenho observado todas essas coisas.
O que ainda me falta?'
21 Jesus respondeu:
'Se tu queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens,
dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu.
Depois, vem e segue-me.'
22 Quando ouviu isso, o jovem foi embora cheio de tristeza,
porque era muito rico.
Palavra da Salvação.

Reflexão - Mt 19, 16-22

Deus nos ama com amor eterno e, por isso, quer relacionar-se conosco.A partir disso, devemos perceber qual é o verdadeiro sentido da religião.O que caracteriza o verdadeiro cristão não é a mera observância dos mandamentos, mas a busca da perfeição que está no seguimento de Jesus, portanto no relacionamento com ele. Porém, existem valores deste mundo que se tornam obstáculo para este relacionamento, como é o caso dos bens materiais, que impediram o jovem de buscar livremente a vida eterna e a perfeição, através da caridade e do seguimento de Jesus, embora observasse todos os mandamentos.


Fonte: CNBB

Preferências